terça-feira, 6 de novembro de 2018

Como manter a área de serviço em ordem



Por parte dos moradores, a área de serviço é um cômodo muitas vezes deixado de lado nos projetos residenciais. Mas não é porque passamos pouco tempo nesse ambiente que ele não merece atenção, afinal, desempenha um papel essencial na organização do nosso lar – é lá que armazenamos itens de limpeza, máquina de lavar roupas, varal e outros instrumentos, utensílios e eletrodomésticos.

Portanto, que tal cuidar da sua área de serviço? Para ajudar, listamos algumas dicas simples e eficientes que tornam o cômodo mais organizado e, consequentemente, melhor decorado. Acompanhe:

Prefira móveis multifuncionais
Um modo eficiente de aproveitar melhor os espaços e o orçamento é optar por móveis com mais de uma função, especialmente em áreas de serviço compactas. Uma dica valiosa é investir em móveis planejados e incluir acessórios embutidos, como tábua de passar e cabideiro para pendurar as roupas.

Outro truque é usar ganchos e suportes para pendurar peças que já foram passadas e até mesmo guardar itens como vassouras e rodos no interior dos armários (alguns ganchos podem ser fixados em móveis já instalados).

No caso de área de serviço integrada à cozinha, os móveis multifuncionais são a grande solução para manter os dois ambientes organizados e com seus respectivos itens armazenados de forma correta.

Explore o espaço vertical


As paredes e o teto são áreas nobres a serem exploradas na área de serviço. Muitas pessoas focam em instalar grandes bancadas, mas a área vertical deve ser valorizada. A dica é escolher armários altos, instalar prateleiras, nichos e ganchos – além de considerar um varal de teto, que economiza espaço e aproveita a ventilação superior. Se preferir, o varal sanfonado de parede também dá um reforço na otimização de espaço – diferentemente dos de chão.

Abuse dos acessórios de apoio


Os organizadores podem ser usados para diversas finalidades na área de serviço, tanto para guardar produtos de limpeza e objetos pessoais quanto para separar roupas limpas e sujas. Escolha uma parte da bancada para instalar uma boa coluna organizadora, assim o que é mais usado no dia a dia se mantém a mão. Outro truque é fixar um suporte para ferro de passar, pois ele serve como apoio durante a tarefa e evita problemas como fio enrolado.

Cestos, tulhas e sapateiras também são bem-vindas para categorizar roupas e calçados entre limpos e sujos, permitindo, ainda, que os sapatos arejem entre um uso e outro.

Chega de bagunça na área de serviço! Compartilhe esse texto com seus amigos e passe as dicas adiante.










Fonte: Blog Masutti Copat



Quer aramados? #NaKausbenTem

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Passo a passo: como montar, abastecer e operar sua motosserra STIHL

O cuidado com a Entrega Técnica do produto é um dos diferenciais da STIHL nos pontos de venda de todo o mundo. Orientações sobre operação, manutenção e usos do equipamento são transmitidas ao cliente por profissionais que entendem tudo da marca. E esse assunto é tão importante que transformamos as dicas em vídeo. Afinal, é sempre bom conhecer mais sobre as ferramentas motorizadas, não é mesmo?

Nesse vídeo vamos apresentar o passo a passo para você começar a operar a sua motosserra STIHL. Caso você ainda fique com dúvidas sobre o produto ou procedimento de uso, consulte o manual de instruções ou procure uma concessionária STIHL.




Importante: este vídeo não substitui a Entrega Técnica presencial e certificada, e não garante a extensão do prazo de garantia.

Ao adquirir o produto você receberá:
  • Motosserra;
  • Chave combinada;
  • Conjunto de corte;
  • Manuais de instruções e garantia.

Vamos começar com a montagem do conjunto de corte

Solte as porcas de fixação da tampa da motosserra e retire-a. Monte a corrente no sabre começando pela ponta e observando o sentido de corte. Em seguida, encaixe o sabre nos parafusos de fixação e a corrente no rolete do pinhão. Repare que os gumes da corrente devem sempre apontar para a direita.

Recoloque a tampa e fixe-a levemente com as mãos. Gire o parafuso indicado para a direita até que a corrente fique um pouco solta embaixo e as pontas dos elos de tração se encaixem na ranhura do sabre.

Por fim, suspenda a ponta do sabre com a mão e tencione a corrente até que ela fique rente ao sabre, de maneira que permita seu correto deslizamento.

Pronta a montagem, agora vamos lubrificar o conjunto de corte e abastecer a motosserra

Abra a tampa do tanque de óleo para o conjunto de corte e coloque o óleo STIHL Magnum.

Para abastecer, abra o tanque de combustível e introduza a mistura de óleo e combustível na proporção correta.

Feito todos os procedimentos, chegou a hora de ligar a motosserra

Antes de tudo, você deve estar utilizando capacete, óculos ou protetor facial, protetor auricular, luvas de proteção, calça anti–corte e botas de motosserrista. Junto à proteção de mão direita e esquerda da motosserra, o freio da corrente, o pino pega-corrente e a trava de segurança do acelerador. Esses itens são essenciais para o manuseio correto e seguro do seu equipamento.

Para ligar a motosserra, passe o interruptor combinado para a posição borboleta do afogador fechada. Empurre o freio da corrente para travá-la.

Coloque a motosserra no chão e certifique-se que a corrente esteja livre, sem tocar em nenhum objeto.

Segure o equipamento com mão esquerda, pressionando firmemente contra o chão e apoio o pé direito sobre a proteção da empunhadura traseira. Empunhadura traseira. Puxe o manípulo de arranque com a mão direita até o primeiro sinal de funcionamento do motor.

Após, passe para a posição meia aceleração e puxe novamente o manípulo de arranque até a máquina ligar.

Imediatamente, pressione o acelerador para que a motosserra fique em marcha lenta e deixe-a ligada por alguns minutos para que o motor aqueça. Após, libere o freio e seu equipamento estará pronto para uso.

Para desligar, basta colocar o interruptor na posição zero.

ATENÇÃO: ao adquirir uma motosserra você deve procurar o órgão público federal ou estadual responsável e obter a licença para porte e uso deste equipamento. Acesse aqui e saiba como regularizar o seu produto.

Antes de utilizar a sua motosserra, sempre verifique as condições de uso do equipamento. Em caso de dúvidas, consulte o manual de instrução ou procure uma concessionaria STIHL.

Bom trabalho com a sua motosserra STIHL!


Precisou de uma Motosserra? #NaKausbenTem

✔️ Rua Sete de Abril, Nº 601 - Petrópolis/RJ
📞 (24) 2231-6644
📱 WhatsApp: (24) 97402-4777


Fonte: Blog Stihl

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Passo a passo: limpeza e manutenção preventiva de motosserras STIHL

Para garantir a durabilidade e a performance da sua motosserra, fique atento a alguns cuidados com a manutenção.





Limpeza do filtro de ar

A cada utilização da motosserra, você deve verificar e, quando necessário, limpar o filtro de ar. Para isso, retire a cobertura da motosserra e utilize um pincel seco para limpar o pó do filtro e do compartimento, tomando cuidado para que não entre sujeira para dentro do motor.
Importante: as orientações podem variar de acordo com o modelo do equipamento.

Limpeza do conjunto de corte

Prossiga com a limpeza do conjunto de corte. Primeiro desmonte o conjunto de corte. A seguir, limpe todo o compartimento e a tampa do pinhão. Limpe a canaleta do sabre com a ponta do calibrador de corrente. Para sabres com a ponta rolante, sempre comece a limpeza pela ponta em direção à parte de trás do sabre. Observe também se há rebarbas na canaleta do sabre. Se houver, retire-as com uma lima chata.
Por fim, para evitar que o sabre desgaste apenas em um dos lados, é importante que ele seja invertido periodicamente.
Além dos cuidados com limpeza e manutenção, não deixe de conferir os itens de segurança e a lubrificação do conjunto de corte.
Caso ainda fique com dúvida sobre o produto ou procedimento de uso, consulte o manual de instrução ou procure uma concessionária STIHL.





Fonte: Blog Stihl

Precisou de Motosserras? #NaKausbenTem


quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Qual a lixeira ideal para minha cozinha?



O projeto de uma cozinha envolve tempo e atenção para escolher layout, revestimentos, iluminação, móveis e eletrodomésticos. Mas existe um item que, muitas vezes, não recebe a atenção que merece: a lixeira. Há muitos modelos disponíveis no mercado, atendendo às mais diversas necessidades dos moradores. Por isso, na hora de escolher a lixeira ideal para o seu projeto, é preciso considerar critérios como tamanho do acessório, espaço disponível e frequência de uso. Saiba mais sobre os principais modelos de lixeira para cozinha:

Lixeira de chão

O tipo de lixeira mais tradicional para utilizar na cozinha é aquele com tampa e abertura por meio de alavanca na parte de baixo, acionada com o pé. Essa lixeira é indicada tanto para lixos recicláveis quanto para orgânicos, desde que separados corretamente. Para isso, você pode instalar duas unidades (uma para cada) ou escolher um modelo com separação interna (dois compartimentos).

Lixeira de pia



Geralmente de tamanho pequeno, a lixeira de pia fica sobre a bancada como apoio para descartar restos de alimentos no preparo ou após as refeições. Outra opção – mais higiênica e que ocupa menos espaço – é apostar em uma lixeira suspensa. Prefira um modelo com design e eficiência, assim garante praticidade, durabilidade, facilidade de limpeza e um toque a mais na decoração. O acessório é instalado em um suporte sobre a bancada – facilitando seu uso. Se contar com acionamento por toque e ‘tampa click’, melhor ainda.

Lixeira embutida



Para quem não gosta de ver a lixeira exposta na cozinha, a melhor opção é um modelo embutido dentro do móvel – geralmente a bancada da pia. Esse truque é indicado para quem tem mais espaço, pois parte do mobiliário será dedicada a acomodar o acessório. Um modelo bastante completo e eficiente é o de lixeira embutida dupla com corrediça telescópica e tampa articulada, assim o usuário tem mais praticidade para descartar lixo orgânico e reciclável em um só lugar.

Separe seu lixo

O correto descarte de detritos faz parte do consumo consciente e do compromisso com o ambiente. Por isso, lembre-se de separar o lixo de sua casa – tanto de cozinha quanto de banheiro. Somada a atitudes responsáveis, a lixeira adequada auxilia no controle de desperdícios e contaminações.

Dicas de reciclagem

Lixo orgânico provém de origem animal ou vegetal. Exemplos: restos de alimentos in natura e cozidos, cascas, sementes, etc. Eles devem ser descartados em um recipiente próprio. Alumínio, plásticos, papéis secos, metais e vidros são recicláveis e devem ter correto destino.

Já papel-carbono, etiqueta adesiva, fita crepe, guardanapos, filtro de cigarros, papéis/embalagens sujos e lixos sanitários são alguns exemplos de descartes cotidianos não recicláveis. Na cozinha, procure higienizar com água reutilizada os recipientes que serão reciclados (vidros, potes, latas, garrafas), secar o excesso de água e depositar em coletores apropriados.




Viu como é possível separar o lixo da cozinha de modo fácil? Compartilhe esse conteúdo com seus amigos para que eles saibam que é importante investir em uma boa lixeira para ajudar o ambiente.


Gostou? Entre em contato com um dos nossos vendedores e faça já a sua encomenda! #NaKausbenTem



Fonte: | Blog Masutti Copat |

terça-feira, 9 de outubro de 2018

O QUE É CHUMBADOR MECÂNICO?



O QUE É CHUMBADOR MECÂNICO?

O Chumbador Mecânico é basicamente um parafuso com arruela acoplado a uma camada externa, muito parecida com uma bucha de parafuso, que ao se girar o parafuso, através de um sistema, faz essa camada externa se abrir aumentando o diâmetro do chumbador, fixando-o no furo onde o mesmo foi colocado.

APLICAÇÃO DO CHUMBADOR MECÂNICO

Podem ser utilizados para fixação de estruturas metálicas, máquinas, equipamentos, instalações elétricas e hidráulicas em geral.



MÉTODO DE APLICAÇÃO DO CHUMBADOR MECÂNICO

Para se trabalhar com um chumbador mecânico, alguns passos devem ser seguidos. Primeiramente basta fazer um furo na superfície que se pretende fixar o chumbador com uma broca de igual diâmetro do chumbador que será utilizado. Também deve-se prestar atenção no comprimento à se perfurar, sendo certo que deve ser o mesmo comprimento do chumbador. Após realizar o furo, limpe-o. Em seguida basta introduzir o chumbador montado e ajustado, pronto para expansão. O próximo passo é girar a porca (ou a cabeça do parafuso), e com o torque aplicado o chumbador se expandirá, iniciando sua fixação no furo.
Com isso o chumbador estará fixo no furo e será possível remover o parafuso e arruela, possibilitando assim posteriormente à aplicação do chumbador, inserir o componente à ser fixado para que seja possível prendê-lo com o parafuso novamente ao chumbador já fixo dentro do furo.


Precisou de chumbadores? #NaKausbenTem

✔️ Rua Sete de Abril, Nº 601 - Petrópolis/RJ
📞 (24) 2231-6644
📱 WhatsApp: (24) 97402-4777

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Por que o Parafuso Madeira possui rosca parcial?

Entenda porque o parafuso madeira, ao invés de outros fixadores moveleiros, possui rosca parcial.



O parafuso madeira é um dos fixadores mais utilizados pela indústria moveleira. Muito dessa utilização se deve à sua rosca parcial.

Veja dois bons motivos que explicam a rosca parcial do parafuso madeira.


União de peças


O primeiro motivo do parafuso madeira possuir rosca parcial é a união de peças de madeira. Parafusos com rosca inteira, quando inseridos na madeira, realizam a união das peças – porém, não permitem puxar uma peça junto da outra. Uma vez que a cabeça do parafuso de rosca inteira encosta no material, ele para de girar.

Por ter parte de sua haste lisa, o parafuso madeira permite atravessar a primeira peça de madeira e puxá-la para junto da segunda peça. Desta forma, é possível realizar mas aperto e unir bem os dois materiais. Também fica mais fácil remover o parafuso (se necessário).

Atrito


Parafusos de rosca inteira, quando aplicados na madeira, geram atrito. Tal atrito aquece o parafuso que, começa a se expandir e pode causar falhas no material. O superaquecimento pode quebrar ou afrouxar o parafuso.

A haste lisa do parafuso madeira ajuda na dispersão do calor. Uma vez que a rosca começa a esquentar, o calor se estende para a haste lista, que demora mais para aquecer e impede que o calor seja passado totalmente para a madeira.


Vai trabalhar com madeira?


A rosca parcial do parafuso madeira ajuda a comprimir duas peças de madeira e minimiza o aquecimento do parafuso.

Além de garantir uma união mais forte entre as peças de madeira, diminui as chances de danificar a rosca do parafuso e a peça de madeira durante a aplicação.

Fonte: https://bit.ly/2oiFBJb | Blog CRV Industrial

Precisou de Fixadores? #NaKausbenTem

✔️ Rua Sete de Abril, Nº 601 - Petrópolis/RJ
📞 (24) 2231-6644
📱 WhatsApp: (24) 97402-4777

terça-feira, 28 de agosto de 2018

Cabides oferecem praticidade em dormitórios


É comum trocarmos de roupas e acessórios no decorrer do dia, mas isso não significa que as peças precisam ficar espalhadas pelo dormitório. Além do clima de bagunça, as roupas ficam mais expostas a possíveis danos, como contato com PETs e pó. Por isso, cabides são acessórios super versáteis para manter tudo em ordem no dormitório – especialmente os itens que mais utilizamos. Conheça algumas opções que cumprem esse quesito com eficiência:

Cabide de parede


Fáceis de utilizar, os cabides de parede estão sempre à mão para quando precisamos pendurar um casaco, lenço ou bolsa por algumas horas. Eles também são práticos para quem tem closet, pois basta acomodar a peça para guardar mais tarde. Outro uso válido é pendurar a roupa limpa que utilizará na saída do banho – assim você evita que ela amasse e não perde tempo escolhendo o look. Para quem tem filhos pequenos, existem modelos divertidos, com uma proposta lúdica no ensino de organização à criança.

Cabide para acessórios


Homens e mulheres costumam disputar espaço no guarda-roupa – isso é fato. No entanto, algumas soluções funcionais, como por exemplo um cabide para acessórios, é capaz de fazer uso inteligente do armário. A dica é escolher um modelo versátil, que permita acomodar gravatas, lenços e outros itens.
Se o casal possui várias bolsas, a solução é um bom organizador de bolsas (ele pode ser pendurado como um cabide e conta com vários ganchinhos para pendurar as peças). Para quem deseja um closet turbinado, vale investir em organizadores fixos (há opções apenas em aço ou com alças de recouro).

Porta-cintos e gravatas


Homens que trabalham em ambiente corporativo geralmente têm vários cintos e gravatas – acessórios que devem ser guardados em local de fácil acesso e de maneira organizada. Para ajudar nessa tarefa, porta-cintos e gravatas são ótimos aliados – podem ser fixados em um móvel que está sendo projetado ou já instalado.

Cabide tradicional


Claro que os cabides tradicionais também têm vez, mas prefira sempre os de boa qualidade, pois são mais duráveis e ergonômicos. Nessa categoria, os cabides mais comuns são para camisas, cabide para calças e cabide duplo.
Esse conteúdo foi útil para você? Então compartilhe com seus amigos nas redes sociais!


Fonte: | Blog Masutti Copat |


Gostou de algo? #NaKausbenTem
✔️ Rua Sete de Abril, Nº 601 - Petrópolis/RJ
📞 (24) 2231-6644
📱 WhatsApp: (24) 97402-4777