sexta-feira, 28 de julho de 2017

Como usar o desempenador de porta Rometal.



Desempenadores são fundamentais em qualquer móvel que possua portas grandes. É importante que o desempenador seja instalado na porta antes que a mesma seja colocada no móvel, pois garante um perfeito alinhamento da porta e também um bom funcionamento para o sistema. DP 100/101 é indicado para portas mais robustas por se tratar de um desempenador mais estruturado. O DP 90 por dispensar a usinagem o que o torna um desempenador de maior praticidade no momento da instalação.
  • Calcular 15% x Largura = centro do rasgo
  • Diâmetro do rasgo = 9mm x 9mm
  • Comprimento do rasgo para instalação:
DP-100 = 2355mm
DP-101 = 1990mm
  • Centralizar peça













Precisou de desempenador de portas? #NaKausbenTem




Fonte: Rometal

terça-feira, 25 de julho de 2017

O que é a espuma expansiva?

Usada para o assentamento, vedação, calafetação, isolamento e fixação, a espuma expansiva é um selante e adesivo elástico de poliuretano, desenvolvido para uso por profissionais.

Material econômico e eficaz contra chuva, vento, neve, poeira e correntes de ar, ajuda a preservar o meio ambiente – pode ser disposta em aterros sanitários, sem poluir o ar ou o lençol freático -, absorve barulho e vibrações naturais, não encolhe e não cede a pressão.

É comumente utilizada para fixação e assentamento de batentes, janelas de madeira, ferro e alumínio, encunhamento de paredes, isolamento de encanamentos e saídas elétricas, preenchimento de juntas de dilatação, fendas e buracos, isolante térmico e acústico em estruturas de coberturas, fixação de caixas de ar condicionado, luz e telefone, vedação, fixação e proteção em equipamentos de aquecimento, refrigeração, oleodutos para transportes de energia e ventilação.



Preparo da superfície

Antes de sua aplicação, deve-se limpar bem a superfície, livrando-a de partículas soltas, poeira, óleos, graxa, nata de cimento e outros contaminantes. Umedecer a superfície fará com que a espuma seja melhor aproveitada.

Aplicação

Inserir o tubo no aplicador e cortar o bico de acordo com a dimensão desejada do cordão de selante. Para melhor aproveitamento deve-se agitar a embalagem. A aplicação é feita com o produto pressionando o gatilho lentamente e, preferencialmente, com a embalagem de cabeça para baixo. A cada nova aplicação, deve-se cortar a ponta do aplicador.

Para aplicar, é importante certificar-se que o vão da porta está nas medidas corretas: um centímetro livre para cada lado do caixilho ou batente é suficiente para as aplicações. O conjunto batente, folha da porta, dobradiças e fechaduras é colocado no vão da parede, travando com travessas em três pontos e colocando cunhas de madeiras entre o batente e a parede. Deve-se verificar o prumo, nível e esquadro, além de abrir e fechar a porta em busca de possíveis imperfeições a serem corrigidas. Após essa verificação já é possível aplicar a espuma, entre 15 a 20 cm de espuma em três pontos para cada lado do batente. O tempo que se deve aguardar para colocar as vistas ou guarnições é de oito horas.

Dica

Caso a aplicação não esteja correta, basta retirar a espuma cortando com uma serrilha ou estilete.




Precisou de espuma expansiva?
#NaKausbenTem




Fonte: Leroy Merlin

sexta-feira, 21 de julho de 2017

VOCÊ SABE COMO SURGIU A CHAVE AJUSTÁVEL?


A história dessa ferramenta ganhou diversos personagens ao longo do tempo. Entre as mais variadas formas como é conhecida, a Chave Ajustável é uma ferramenta utilizada em diversas atividades como no aperto de parafusos e porcas, e é exatamente por isso que ela é extremamente popular e a sua história rende inúmeras versões diferentes. Em diversos países, incluindo o Brasil, a ferramenta é conhecida como Chave Inglesa, por ter sido inventada pela primeira vez pelo engenheiro inglês Richard Clyburn, em 1842.
Agora, se você estiver pela Dinamarca, Polônia ou Israel verá que por lá a história ganha outros personagens. Nesses países, a ferramenta é conhecida como Chave Sueca e a sua invenção é atribuída ao sueco Johan Petter Johansson, que recebeu, em 1982, a patente para uma chave, utilizada até hoje. Seu invento é uma evolução do modelo criado por Clyburn.

Precisou de ferramentas? #NaKausbenTem

Fontes: Gedore Blog | Alfabeta Comunicação | 

terça-feira, 18 de julho de 2017

UMA BREVE HISTÓRIA DO ALICATE!






Vamos conhecer uma breve história do alicate? Não são muitas as fontes que explicam exatamente como essa ferramenta surgiu.


Uma das ferramentas mais comuns, presente nas casas de muita gente e companheiro fiel para reparos, o alicate surgiu na Europa, em cerca de 2000 a.C. com o objetivo de agarrar objetos quentes, como ferro fundido e desentortar flechas. O próprio Homo Sapiens acabou se inspirando em um de seus rivais, que tinha uma mandíbula mais avantajada e a usava para pegar coisas, para criar uma ferramenta. Com o tempo, outras civilizações, como os árabes, também produziram suas versões da ferramenta que parece abocanhar objetos. Dando um salto na história, com a Revolução Industrial na Inglaterra em 1775, vamos conhecer o jovem escocês, do clã dos Allicaster, o Sr. James Watt, grande inventor da época, que desenvolveu a técnica da máquina à vapor, construindo vários equipamentos com a nova tecnologia, substituindo a força humana pela força de máquinas. O Jovem Mac Allicaster, tornou-se um grande industrial do ramo de ferramentas, tendo como grande sucesso de vendas, os alicates fabricados por ele.


Os diferentes tipos de alicates surgiram juntamente com a invenção de diferentes objetos nos quais são usados como ferraduras, abraçadeiras, cabos, canos,componentes elétricos e eletrônicos, entre outros.




Precisou de alicates? #NaKausbenTem


✔️ Rua Sete de Abril, Nº 573 e 601 - Petrópolis/RJ
📞 (24) 2231-6644 / 35*64*11009
📱 WhatsApp: (24) 97402-4777







Fonte: | Gedore Blog | AlfaBeta Comunicação |

sexta-feira, 14 de julho de 2017

ALICATES DE CORTE: CUIDADOS BÁSICOS QUE AJUDAM A AUMENTAR A VIDA ÚTIL DA SUA FERRAMENTA

O alicate de corte é uma ferramenta articulada utilizada para cortes de arames e fios de cobre, alumínio e aço. A ferramenta pode apresentar-se de diferentes formas, conforme a necessidade do usuário.
Vale destacar que cada tipo de alicate tem uma capacidade máxima de corte, em função do seu material, diâmetro e resistência à tração. Dessa forma, existem certos cuidados que precisam ser considerados durante a manutenção das ferramentas.
Confira abaixo algumas dicas básicas que auxiliam a aumentar a vida útil dos alicates de corte:
• Não expor os alicates a altas temperaturas, para evitar o risco de alteração da dureza e danificação dos cabos plásticos.
• Nunca utilizar martelo para auxiliar no corte de algum material, pois o alicate foi projetado apenas para aplicação de força manual sobre os cabos.
• Não cortar arames acima do especificado por norma.
• Aplicar periodicamente um óleo lubrificante nas partes metálicas do alicate para proteger sua superfície.
• Guardar o alicate em local limpo e seco.
• Não inclinar (virar) o alicate no momento do corte, pois este procedimento pode ocasionar o lascamento do corte.
• O isolamento elétrico dos alicates IOX, JC, ICP e VDE deve passar por uma revisão periódica para evitar acidentes.

Fonte: | Gedore Blog

terça-feira, 11 de julho de 2017

Tipos de corrente de motosserra

As correntes de motosserra STIHL são produzidas com todo o cuidado e qualidade, trazendo alta tecnologia para cada produto. Elas possuem precisão e padrão de produção, rendimento de corte, baixo nível de rebote, baixo nível de vibração, segurança de operação, dentes de corte de aço especial cromados por eletrólise, rebites temperados e são feitas à medida para os sabres e motosserras. As correntes de corte são os elementos de atuação direta no trabalho de corte da madeira e a durabilidade das correntes depende da lubrificação, da afiação adequada e do correto tensionamento da corrente.


Principais funções das correntes:
– transmissão do torque da motosserra;
– transmissão das forças de corte;
– separação das fibras de madeira;
– transporte de serragem para fora do tronco.
Podemos distinguir as correntes em função dos dentes.  Há dentes com desenhos redondas, meio cinzel ou semiquadrados. Em função da qualidade e produtividade de corte desejada, pode ser vantajoso utilizar correntes mais resistentes e fáceis de afiar. Porém, dependendo do trabalho, é preferível usar correntes mais rápidas e sofisticadas. É importante saber que o perfil do dente (placa lateral) incide diretamente na produtividade da corrente.
Porém, é muito importante escolher o tipo correto de corrente para cada motosserra, para que o uso dela seja melhor ainda. Conheça os tipos de correntes que a STIHL oferece:
– Picco Micro: essa corrente de motosserra é indicada para atividades agropecuárias, domésticas e jardinagem nas motosserras de baixa e média potência. A versão 1/4″ é recomendada para podadores de altura e motosserras de baixa potência e espessura de elos de 1,1 e 1,3 mm.
– Picco Micro Mini: apropriada para motosserras de potência do motor até aprox.1,5 KW, para atividades onde se usa principalmente a ponta do sabre. Direcionada aos usuários ocasionais, com baixo risco de rebote e oferece um corte macio e seguro.
– Rapid Chipper / Standard: criada para abate e traçamento e pode ser utilizada para o corte de qualquer tipo de madeira.
– Rapid Micro: indicada para todos os tipos de madeira e usos (agropecuário, sítios, construção civil e ocasional). Apresenta pouco nível de vibração, corte suave e baixa tendência a rebotes.
– Rapid Super: especial para o uso profissional (agropecuário e florestal), com ótimos resultados em madeira densa e dura. Desenvolvida para diminuir a tendência de rebote.
Com todas essas opções, basta escolher a corrente de motosserra mais adequada para as suas atividades, que todo o trabalho será facilitado!


Precisou de Motosserras? #NaKausbenTem


Fonte: | Blog Stihl |

terça-feira, 4 de julho de 2017

Meu canto preferido: 5 ambientes com móveis coloridos

1. Cadeiras coloridas



Para garantir o clima aconchegante, a arquiteta Priscila Landre apostou na madeira, presente no pergolado, nos móveis e no visual do piso cerâmico. A alegria é garantida com as várias cadeiras coloridas e as samambaias. (Foto Bia Mantovani/Minha Casa)

2. Cadeira azul



O móvel azul se destaca na sala em tons de cinza e preto dos moradores do @ape_trintaeum. (Reprodução/@ape_trintaeum/Minha Casa)

3. Baús coloridos



A Carla Leressa (@mimosdetecido) mora em Manaus (AM) e compartilhou com a gente a foto de sua sala: os baús posicionados embaixo do aparador amarelo parecem bancos coloridos. (Reprodução/@mimosdetecido/Minha Casa)


4. Aparador amarelo



A sala da Ruana Henrique Almeida (@ruana_henrique) tem um cantinho especial: o móvel amarelo abriga objetos de decoração, aromatizador de ar e até um mini bar. A cor também aparece na charmosa mesinha lateral. (Reprodução/@ruana_henrique/Minha Casa)

5. Cadeiras azuis



Inspirada no estilo escandinavo, a sala de jantar da @casadeinspirar é composta por quatro cadeiras Eames na cor azul. E a pitada de cor não acaba aí: repare no vermelho na parte interna do pendente. (Reprodução/@casadeinspirar/Minha Casa)



Precisou de móveis coloridos? Entre em contato com os nossos vendedores para modelos disponíveis.




Fonte: | Minha Casa |